Enter your keyword

O papel do pai na gestação, parto e no pós-parto

O papel do pai na gestação, parto e no pós-parto

Quando falamos em maternidade, parto e pós-parto lembramos logo da figura da mãe e do bebê, mas esquecemos que tem mais alguém ali neste contexto familiar, que é tão importante quanto, mas que muitas vezes é esquecido ou deixado de lado… o PAI

A mulher vive a maternidade desde o primeiro momento em que se descobre grávida, já o homem se torna pai de verdade quando pega o seu filho pela primeira vez nos braços.

Muitas coisas mudam quando se deixa de ser um casal, e passam a ser pais!

Então, durante a gestação, o pai pode – e deve – entrar neste novo universo. Estude sobre parto, sobre o corpo da mulher, sobre bebês, converse com sua esposa sobre como cada um deseja viver esta experiência da chegada de um filho.

Procurem juntos uma equipe médica, vá junto nas consultas, esteja ao lado dela, participando de todas as escolhas.

Não economize no carinho e cuidados com a futura mãe. Entre em contato com o bebê, fale com ele, acaricie a barriga, inicie o vínculo afetivo, pois ele já pode te sentir pai, e a tua presença é única para ele! Ele sabe quem é você!

No nascimento, procure viver com ela todas as emoções deste momento único. Ela é a emoção e você pai, a razão. Esteja disponível. Seja o apoio, o suporte, o olhar que acolhe, o abraço que cuida, a presença forte e amorosa.

O parto é um momento, a paternidade é para sempre! Viva intensamente este momento! Chore, chore muito… é lindo ver um homem em contato com a sua natureza!

Após o nascimento, olhe também para a tua parceira! Os cuidados com o bebê, ela vai saber fazer, mas é preciso que alguém olhe para ela, que a cuide, que a acolha, que esteja do lado, participando ativamente de tudo.

Alimente ela de afeto, nutra ela e ela nutrirá o bebê com a mesma qualidade. Proteja este ambiente familiar e zele pela segurança e saúde de todos. Troque a fralda, dê o banho, coloque-o para arrotar e enquanto faz o bebê dormir, convide a tua esposa a descansar também. Compartilhem juntos todas as tarefas e descubram um amor ainda maior depois esta intensa experiência.

Procure trabalhar as suas questões pessoais e emocionais antes de ter um filho, para não projetar neles as suas próprias dores. Eles são “experts” em acionar o teu inconsciente, te fazer revisitar espaços de dor dentro de si, são mestres em ler aquilo que você não diz, te fazendo reviver o contato com a criança que um dia você foi. Não coloque nele a responsabilidade pela tua felicidade, isto é pesado demais. Separe o que é teu e deixe para ele apenas o que é dele.

Trabalhe menos e esteja mais presente na vida do teu filho. A infância só dura alguns anos, e você terá a vida inteira para trabalhar novamente. Não se preocupe tanto com o dinheiro, o que importa mesmo é a qualidade do tempo que vocês passam juntos. Pegue na mão dele, dê atenção, brinque com ele, tomem banho juntos, leiam livros. Crie momentos positivos ao lado dele. Ouça-o com atenção e carinho. Dancem juntos, durmam juntos, tomem chuva e sorvete juntos! Abrace-o muito e diga que o ama! Ensine-lhe a demonstrar aquilo que sente, a reconhecer e aceitar as suas emoções, a ser responsável pelos seus próprios atos. E acima de tudo, esteja aberto para aprender, teu filho é o teu maior mestre!

Assim que ele vai crescendo, você vai enfrentar novos desafios para seguir educando com afeto e responsabilidade. Você não tem a obrigação de saber tudo e de ser forte o tempo todo, peça ajuda quando necessário, assim estará ensinando a ele que homens também choram, se sentem fracos, impotentes, vulneráveis, e tudo bem se sentir assim, é lindo e humano.

Pai, assuma o seu lugar, ele é teu por direito e de mais ninguém!
Pai não é ajudante da mãe, pai é pai!

Mãe, permita que ele esteja presente, envolva-o aos poucos na nova rotina, respeitando os limites que ele por ventura demonstrar. Reconheça o esforço dele, ele está fazendo o melhor que pode, elogie e agradeça sempre que puder.

Penso que ser pai é algo maravilhoso, mas sinto que não é nada fácil. Quando exercida com consciência, a paternidade cura e dá sentido a vida, proporcionando aos homens experiências que de outra forma não seriam possível vivenciar. Seja um pai inspirador!

Como diria Marcos Piangers:

“Quando você se esforça para ser melhor do que os seus pais foram, você dá a chance para o seu filho ser melhor que você.”

Uma presença masculina consciente e amorosa faz toda a diferença para formar um cidadão positivo para o mundo. Teu filho te escolheu, e você é tudo o que ele precisa! Honre esta escolha!
Afinal, Você quer SER pai ou quer TER um filho?

Educadora física por formação e doula por missão. Atua como educadora perinatal, doula de parto, pós-parto e arte gestacional. É profissional de Inteligência Emocional, formada pelo Instituto Internacional Bioflow®.